O escopo do crime de genocídio: considerações epistemológicas sobre os massacres

Júlia Leite Valente

Resumo


A criminalização do genocídio representa importante passo da comunidade internacional na proteção dos direitos humanos, mas a elaboração do tipo penal foi resultado da política internacional o que fez com que certos tipos de massacre fossem incluídos na definição enquanto outros foram deixados de fora. O conceito de genocídio, desde então, sempre foi um campo de disputa. O artigo, indo além da simples definição jurídica de genocídio, apresenta algumas contribuições das ciências sociais para uma possível revisão epistemológica do conceito de genocídio visando a melhor proteção contra os massacres que atingem as populações civis em todo o mundo. São apresentadas considerações sobre os massacres a partir das obras de Wayne Morrison e Jacques Semelin, com o apoio criminológico de Eugenio Raul Zaffaroni.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15175/issn.1984-2503/20157249

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Passagens_teste



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Apoio:

 
 
Indexadores:
 
 
 
Facebook: