Indisciplina, vigilância e produção da ilegalidade na cidade-corte do império do Brasil (décadas de 1820 e 1830)

Luciano Rocha Pinto

Resumo


Na cidade-corte do Império do Brasil, a preocupação com a ordem produziu uma série de intervenções cotidianas, tendo na indisciplina a matéria-prima de suas práticas. Os Termos de Bem Viver, assinados na Intendência de Polícia e os Registros de Infração de Posturas, da Câmara Municipal, assinalam um espaço urbano marcado por técnicas de punição-disciplinarização. Proponho, iluminar o resistente e a dissimetria entre o poder punitivo e os delitos praticados, com o objetivo de pôr em evidência a generalização do olhar inspecional e fiscalizador, entendendo que até quem vigia é por outros vigiado.


Palavras-chave


Brasil Império; Rio de Janeiro; disciplina; relações de poder; produção de subjetividade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15175/1984-2503-20168202

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Apoio:

 
 
 
 Indexadores:

 
 
Facebook: