As representações do poder. A revista Argentina Austral

Martha Ruffini

Resumo


Em 1929, a Sociedade Anônima Importadora e Exportadora da Patagônia, a empresa comercial e pecuária mais poderosa do sul argentino, fundou a revista Argentina Austral, publicada até 1968. A continuidade e a qualidade da edição, sua ampla circulação e sua transcendência transformaram essa revista em uma das publicações mais significativas da Patagônia argentina e em uma clara expressão dos interesses econômicos e sociais dos setores dominantes do sul. Os termos do ato de fundação da revista, centrado na defesa dos interesses do sul, expressou-se mediante representações discursivas da Patagônia, dos seus habitantes e da Sociedade responsável pela sua publicação, as quais intervinham como justificativas das argumentações e demandas. O nosso objetivo consiste em analisar a revista Argentina Austral para interpretar as transformações nas representações e a sua relação com as mudanças políticas e econômicas e com o ato de fundação estabelecido pela revista com seus leitores. Consideramos que a Argentina Austral selecionou e hierarquizou de forma permanente diferentes representações da Patagônia para articular um discurso que permitisse à revista posicionar-se diante dos planos e decisões dos governos estabelecidos, acompanhando de forma concreta as reinvindicações das corporações agrárias ou acentuando alguns dos seus aspectos em função das necessidades do sul.

Palavras-chave


Patagônia; setores dominantes; imprensa; Revista <i>Argentina Austral</i>; representações

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.15175/1984-2503-20168107

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Apoio:

 
 
 
 Indexadores:

 
 
Facebook: