A Conferência do Rio de Janeiro e o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca: Conflitos na construção do sistema interamericano

Sydenham Lourenço Neto

Resumo


Este artigo enfoca os conflitos que envolveram a aprovação do Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR) na Conferência do Rio de Janeiro, em 1947. Analisamos os projetos de tratados que foram enviados para a União Pan-americana, principalmente os projetos Brasileiro, Mexicano e dos EUA; as votações preliminares que ocorreram antes da realização da Conferência com o objetivo de obter um consenso entre as nações envolvidas; e o texto final do TIAR. Nossa hipótese é a de que o texto final do TIAR não materializou um domínio completo dos EUA sobre os outros membros da União Pan-americana, ao contrário, ele representou a solução negociada possível, num momento de transição da política de boa vizinhança para a doutrina de contenção do comunismo; este contexto permitiu aos países membros da União Pan-americana fazer valer algumas de suas propostas mesmo com a oposição dos EUA. Algo que dificilmente poderia se repetir nos anos seguintes, na medida em que a política de contenção ao comunismo e o domínio dos EUA sobre o continente americano se consolidou.

Palavras-chave


TIAR; Conferência do Rio de Janeiro; União Pan-americana

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15175/1984-2503-20157303

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Apoio:

 
 
 
 Indexadores:

 
 
Facebook: