O surgimento do “estado” e da “propriedade privada” na Idade Antiga e na Idade Média

Diogo de Calasans Melo Andrade

Resumo


O objetivo central desse artigo é diferenciar o tipo de “propriedade privada” que exista na Idade Antiga e na Idade Média, do atual modelo de propriedade privada capitalista. Para isso, fez-se necessário perceber que em Roma a propriedade privada era comunal e não uma mercadoria e, a dominação sobre a propriedade privada, tinha como base a força; já na Idade Média, a “propriedade privada” era feudal, existindo a terra do senhor e do servo e, a dominação sobre a propriedade, teve como fundamento a moral e a religião. Por isso, o fato de a propriedade feudal não ser possuída como nas relações capitalistas, não a tornavam mercadoria, uma vez que tinha como base a relação feudal de lealdade. Por fim, detectou-se que somente após a Revolução Francesa é que surgiu a propriedade privada capitalista, com a possibilidade da monopolização das terras e sua transformação em mercadoria.


Palavras-chave


Propriedade privada comunal; feudalismo; Estado

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15175/1984-2503-202012208

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio:


 

 
 
 Indexadores:




Facebook: