“Bando de ideias novas”: circulação ideias e redes de sociabilidade entre Recife e Bahia

Gabriel Souza Cerqueira

Resumo


Este artigo analisa o contexto de inovação epistemológica no Brasil na passagem à modernidade através da experiência da Escola do Recife. Ao mesmo tempo, reconstitui sua área de influência a partir das redes de sociabilidades estabelecidas por seus intelectuais. Diante da intensa circulação de ideias naquelas décadas finais do Império e início da República, da constituição de uma situação de crise que levaria ao fim de um e início da outra, nos perguntamos qual o lugar da Escola do Recife, tanto no campo acadêmico da Faculdade de Direito do Recife quanto a seu raio de influências regionais. As disputas intelectuais no Brasil daquela conjuntura devem ser capturadas não só no plano das ideias expostas, mas na trama das relações sociais em que se deu a circulação dessas ideias. As redes de sociabilidade estabelecidas pelos intelectuais da Escola de Recife serão observadas através do periodismo jurídico, tendo como fonte a Revista Acadêmica da Faculdade de Direito do Recife e observando sua área de influência; especialmente, na formação da Faculdade Livre de Direito da Bahia e sua revista acadêmica.


Palavras-chave


Escola do Recife; periodismo jurídico; História do Direito; cultura religiosa

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15175/1984-2503-201911205

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio:



 

 
 
 Indexadores:



 
 
Facebook: