Do Integralismo Lusitano ao Nacional Sindicalismo: tensões e conflitos

Felipe Cazetta

Resumo


Este artigo tem como proposta examinar a trajetória do Integralismo Lusitano, e seu desdobramento de inclinações ao fascismo, o Nacional-Sindicalismo. De início há a análise do surgimento do movimento monárquico português e suas estratégias e experiências políticas para instaurar seu projeto de monarquia orgânica em Portugal. Em segundo momento, propõe-se a análise das estratégias de discurso praticadas por Rolão Preto, líder do Nacional Sindicalismo, nos diferentes momentos de sua experiência política até o exílio, contemplando, portanto, conflitos com Oliveira Salazar, ditador de Portugal. O objetivo é apontar as nuances existentes entre movimentos e regimes de extrema-direita no entreguerras.

Palavras-chave


Integralismo Lusitano; trajetória; Nacional-Sindicalismo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15175/1984-2503-20179306

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Apoio:

 
 
 
 Indexadores:

 
 
Facebook: