No encalço do desenvolvimento: as reações da imprensa carioca ao pensamento social de Celso Furtado (1961-1962)

Lincoln de Araújo Santos

Resumo


A partir da leitura e da análise das fontes jornalísticas em seus editoriais, o presente artigo identifica as repercussões do pensamento social e das ações de Celso Furtado como intelectual e operador do Estado na imprensa carioca. O contexto da Guerra-Fria e a cultura anticomunista no país representaram o cenário dos anos iniciais da década de 1960, responsáveis pelas reações diante dos posicionamentos de Furtado em relação ao seu projeto de desenvolvimento para o Brasil. Discorre também sobre as matrizes do pensamento do economista percebendo a sua formação articulada com as suas reflexões sobre as sociedades brasileira e latino-americana. Os embates sobre este projeto tinham o Nordeste como região perigosa aos setores altos e médios da sociedade brasileira, temerários com o espectro do comunismo diante da agenda das reformas, principalmente a reforma agrária. A natureza política e ideológica das elites brasileiras e sua frontal oposição às teses desenvolvimentistas reverberaram nos discursos editoriais do Jornal do Brasil e da Tribuna da Imprensa de 1961-1962.


Palavras-chave


Celso Furtado; pensamento social; intelectuais; desenvolvimentismo; planejamento

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15175/1984-2503-201810103

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Apoio:

 
 
 
 Indexadores:

 
 
Facebook: