Padroado régio e Regalismo nos primórdios do Estado Nacional brasileiro (1820-1824)

Gabriel Abílio de Lima Oliveira

Resumo


O artigo parte de uma reflexão sobre dois aspectos fundamentais no que se refere à relação entre a Igreja e o Estado no Brasil, no momento da consolidação das bases do Estado nacional independente, o padroado régio e o regalismo. Busca-se um panorama sobre as raízes ibéricas destes fenômenos religiosos e políticos, dando ênfase às especificidades do caso português na sua conexão com o contexto da Independência e da consolidação das bases institucionais e constitucionais do Império, onde os preceitos e práticas do liberalismo estariam em constante tensão e diálogo com as heranças próprias ao Antigo Regime. Tem-se em perspectiva as ideias e projetos de agentes políticos, em especial os sacerdotes, envolvidos nos debates sobre as questões religiosas a partir da esfera pública, sobretudo na imprensa e no parlamento.


Palavras-chave


Padroado; regalismo; Estado nacional; liberalismo; império

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15175/1984-2503-20179105

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Apoio:

 
 
 
 Indexadores:

 
 
Facebook: