O processo de anistia aos bispos da “Questão Religiosa”: Historiografia, Direito Constitucional e Diplomacia

Jefferson de Almeida Pinto

Resumo


Este artigo retoma o ano de 1875 e as discussões ensejadas pelo campo político imperial a respeito de uma possível anistia aos bispos envolvidos na chamada “questão religiosa” da década de 1870. A partir de vários escritos a respeito deste tema, em que antítese “maçonaria versus ultramontanismo” é o fio condutor central e motivo principal dos conflitos político-religiosos daquele tempo, nos propomos a pensar este momento levando-se em consideração a ação da diplomacia imperial e, fundamentalmente, a lógica do direito constitucional, debate presente nas atas do Conselho de Estado e outras fontes, antes e durante os anos mais tensos da “questão religiosa”.

Palavras-chave


“Questão Religiosa”; anistia dos bispos; ultramontanismo; diplomacia imperial; direito constitucional

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15175/1984-2503-20168301

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio:



 

 
 
 Indexadores:



 
 
Facebook: