Políticas Editoriais

Foco e Escopo

O principal objetivo de Passagens: Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica é ampliar o espaço de sociabilidade acadêmica dos campos intelectuais das ciências humanas e sociais aplicadas, com ênfase em estudos de história política e cultura jurídica. Passagens incentiva a divulgação de trabalhos em andamento que contribuam para o aprofundamento de pesquisas com abordagem transdisciplinar, dando visibilidade à discussão pertinente no Brasil e no exterior, com destaque estratégico para a América do Sul, sem perder de vista sua abrangência internacional. Publica artigos inéditos, que são submetidos a um processo de avaliação (duplo cego). Passagens aceita artigos e resenhas em quatro línguas: português, espanhol, francês e inglês, e é publicada eletronicamente três vezes ao ano: janeiro, maio e setembro. Passagens é uma iniciativa do Grupo de Pesquisa (Laboratório Cidade e Poder) fundado no início dos anos 1990 e atuante no Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da Universidade Federal Fluminense, em Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Situado no âmbito do Programa de Pós-Graduação em História, o Laboratório Cidade e Poder (LCP) congrega professores e pesquisadores que se afiliam aos Programas de Pós-Graduação em Ciência Política, Sociologia e Direito e Psicologia.

 

Políticas de Seção

Artigos

Política padrão de seção

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Editorial

Não verificado Submissões abertas Não verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

Resenha

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

Diretrizes éticas para a avaliação por pares
Ethical Guidelines for Peer Reviewers

A avaliação por pares é condição necessária para a validação dos trabalhos acadêmicos submetidos para publicação em um periódico científico. “As Diretrizes Éticas para a Avaliação por Pares” de Passagens. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica estabelecem normas e princípios básicos aos quais os pareceristas devem aderir durante o processo de avaliação por pares. A avaliação entre pares objetiva a melhoria dos textos submetidos, através de sugestões, referências complementares e incentivos ao desenvolvimento das pesquisas e do conhecimento científico.
As diretrizes foram preparadas a partir das sugestões do Committee of Publications Ethics (COPE).

http://publicationethics.org/files/Ethical_guidelines_for_peer_reviewers_0.pdf

1.1. Compromissos do(a) avaliador(a) externo(a):

  • Respeitar o caráter confidencial da avaliação e não revelar detalhes sobre o artigo ou sobre sua análise durante ou após o processo de avaliação, além daquilo que será publicado.
  • Não fazer uso de informações obtidas durante o processo de avaliação por pares em benefício próprio ou de outra pessoa ou organização, bem como para descrédito ou prejuízo de outrem.
  • Avaliar apenas artigos sobre cujos temas possui conhecimento para conduzir uma avaliação adequada e com os quais pode comprometer-se a realizar o trabalho dentro de um prazo razoável.
  • Declarar todos os conflitos de interesse em potencial, consultando os Editores de Passagens. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica caso haja dúvidas sobre a relevância de determinado(s) conflito(s).
  • Garantir que a avaliação seja isenta, não se deixando influenciar pela origem do artigo, nacionalidade, religião, convicções políticas e ideológicas, gênero do(s) autore(a)s.
  • Ser objetivo e construtivo nas avaliações, evitando posturas inflamadas e de comentários depreciativos.
  • Reconhecer que a avaliação por pares é um trabalho recíproco e comprometer-se a realizar sua parte da tarefa em tempo hábil.
  • Fornecer informações pessoais e profissionais precisas quanto à sua experiência e campo de conhecimento ao introduzir ou atualizar dados no periódico.

2.2 Procedimentos esperados do(a) avaliador(a) externo(a) no processo de
avaliação por pares:

  • Responder sem atraso desnecessário ou intencional.
  • Declinar da tarefa caso não se sinta capaz de realizar uma avaliação informada, justa, imparcial e dentro do prazo.
  • Declarar caso considere não ter o domínio necessário do tema para realizar a avaliação.
  • Declarar quaisquer interesses conflitantes ou concorrentes (que podem ser, por exemplo, pessoais, econômicos, profissionais, políticos, ideológicos ou religiosos), consultando os Editores de Passagens. Revista  Internacional de História Política e Cultura Jurídica em casos de dúvidas sobre a relevância de determinado conflito.
  • Declarar envolvimento com o trabalho ou com sua apresentação quando procedente e fornecer detalhes de sua participação.
  • Declarar, caso já tenha avaliado o artigo para outra publicação. Se o editor ainda assim convidá-lo para o trabalho e o comentarista externo sentir-se confortável em realizá-lo, a avaliação deve ser feita novamente, já que existe a possibilidade de haver alterações entre as duas apresentações.
  • Não aceitar avaliar um artigo caso possua questionamentos quanto ao modelo de avaliação de Passagens, que poderiam influir em sua avaliação ou invalidá-la devido a sua impossibilidade de seguir as políticas da publicação.
  • Notificar e consultar a Passagens. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica imediatamente caso venha a descobrir um conflito que não estava inicialmente aparente ou qualquer outra questão que possa impedi-lo de fornecer uma avaliação criteriosa e imparcial.
  • Ler cuidadosamente o artigo, material complementar e instruções de Passagens; caso sejam necessários maiores esclarecimentos, entrar em contato com a mesma solicitando quaisquer itens ausentes ou incompletos que julgar necessários para a avaliação completa.
  • Não envolver terceiros na avaliação sem antes obter o consentimento dos Editores de Passagens. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica.
  • Manter todos os detalhes do artigo e da avaliação em sigilo.
  • Informar os Editores de Passagens caso as circunstâncias impeçam a entrega da avaliação dentro do prazo estipulado e oferecer uma estimativa precisa do tempo necessário para finalizá-la, caso ainda seja solicitado a fazê-lo.
  • Notificar os Editores de Passagens caso encontre irregularidades, ou tenha preocupações relativas a aspectos éticos do trabalho, ou suspeite de má conduta durante a pesquisa, a redação ou a entrega do artigo.
  • Não contatar os autores diretamente.
  • Preencher o formulário fornecido por Passagens para proceder a escrita da avaliação.
  • Ao usar o espaço para ‘Recomendações para aperfeiçoamento do trabalho’, produzir texto claro e conciso visando os esclarecimentos necessários para a melhoria do artigo.
  • Ser objetivo e construtivo nas avaliações e não fazer comentários pessoais depreciativos ou acusações infundadas.
  • Deixar claro quais investigações adicionais sugeridas são essenciais para apoiar argumentos presentes no artigo e quais teriam apenas o papel de fortalecer ou ampliar o trabalho.
  • Abster-se de fazer comentários negativos injustos ou incluir críticas injustificadas ao trabalho de concorrentes mencionados no artigo.
  • Assegurar-se que seus comentários e recomendações aos Editores sejam consistentes com seu relatório para os autores.
  • Sugerir a inclusão de citações de trabalhos do comentarista externo (ou de seus associados) apenas por razões legítimas, e não meramente para aumentar a contagem de citações do comentarista externo (ou de seus associados) ou para aumentar a visibilidade de seu trabalho (ou de seus associados).
  • Caso seja solicitado por Passagens. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica, responder prontamente a questões relacionadas à avaliação do artigo e fornecer as informações requisitadas.
  • Entrar em contato com o periódico se algo relevante que possa afetar sua avaliação e suas recomendações originais surgir após a entrega da avaliação.
  • Ler as avaliações de outros pareceristas quando fornecidas pela Passagens. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica para melhorar sua própria compreensão do tema e das recomendações propostas.
  • Procurar atender aos pedidos de Passagens. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica para revisar avaliações ou reavaliar novas apresentações de artigos já avaliados anteriormente.

 

Periodicidade

Passagens: Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica mantém uma periodicidade quadrimestral (janeiro, maio e setembro)

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Aos autores, não é cobrada taxa de processamento e de submissão de artigos.

 

Arquivamento

Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais...